quarta-feira, 4 de abril de 2012

O feitiço virou contra o feiticeiro

Por Caio Lafayette


Demóstenes Torres, na Campanha de 2010,  jacta-se de ter sido o Relator da Lei da Ficha Limpa e torna-se autoridade máxima em assuntos éticos no país.

PERSONAGENS DA HISTÓRIA:

SENADOR DEMÓSTENES TORRES: Antes de qualquer coisa é interessante lembrar que Demóstenes - não o Senador - foi um foi um proeminente orador e político grego, de Atenas. Sua oratória constitui uma importante expressão da capacidade intelectual da Atenas antiga. Talvez daí a inspiração para o nome de Demóstenes Lázaro Xavier Torres - esse sim o Senador - que fez valer o significado de seu nome e tornou-se Procurador-Geral do Ministério Público de Goiás, exímio orador, homem de respeito.
Filiado ao DEM, foi eleito Senador pela primeira vez em 2002 e reeleito em 2010 às margens de um sucesso obtido graças ao seu forte posicionamento em favor dos princípios éticos na política.


CARLINHOS CACHOEIRA: Conhecido por todos desde 2004 após divulgação de vídeo que o flagrou oferecendo propina a Waldomiro Diniz, ex-assessor de José Dirceu - considerado o primeiro de muitos escândalos de corrupção do governo Lula - foi preso há pouco mais de um mês. Sua prisão deu-se a partir da 'Operação Monte Carlo', organizada pela Polícia Federal, que desarticulou organização que explorava máquinas de caça-níqueis no Estado de Goiás.



Personagens apresentadas, o que ninguém esperava aconteceu:

Entre outros assuntos, Demóstenes usa o cargo de Senador para ajudar o contraventor Carlinhos Cachoeira a resolver problemas da sua empresa na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).


O que mais choca no caso de Demóstenes é que ele, relator da 'Lei Ficha Limpa',  porta-voz da moralidade no país, incidiu no erro que ele mesmo crucificou: a corrupção, o jeitinho, o favorecimento pessoal por meio de ferramentas e poder político. 
Não teve saída. De seu partido - o DEM - já pediu desfiliação, complicando ainda mais uma sigla que parece não ter mais salvação. De seu mandato, pouco resta. A liderança da bancada e a presidência na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, considerada a mais importante da Casa, já se foram. Agora é esperar julgamento, ou renunciar. Em ambos os casos, cai na 'Lei Ficha Limpa'', podendo ficar inelegível até 2027.

O feitiço virou contra o feiticeiro. E como disse Maria Inês Nassif: "O rumoroso caso Demóstenes Torres é uma chance única de reavaliar o que foi a política brasileira na última década (...)"
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário