quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

A última crônica

Assim eu queria que fosse o último texto do ano, e Fernando Sabino escreveu por mim. 

A ÚLTIMA CRÔNICA
Fernando Sabino



A caminho de casa, entro num botequim da Gávea para tomar um café junto ao balcão. Na realidade estou adiando o momento de escrever. A perspectiva me assusta. Gostaria de estar inspirado, de coroar com êxito mais um ano nesta busca do pitoresco ou do irrisório no cotidiano de cada um. Eu pretendia apenas recolher da vida diária algo de seu disperso conteúdo humano, fruto da convivência, que a faz mais digna de ser vivida. Visava ao circunstancial, ao episódico. Nesta perseguição do acidental, quer num flagrante de esquina, quer nas palavras de uma criança ou num acidente doméstico, torno-me simples espectador e perco a noção do essencial. Sem mais nada para contar, curvo a cabeça e tomo meu café, enquanto o verso do poeta se repete na lembrança: "assim eu quereria o meu último poema". Não sou poeta e estou sem assunto. Lanço então um último olhar fora de mim, onde vivem os assuntos que merecem uma crônica.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Retrospectiva 2011

Por Caio Lafayette


JANEIRO - Dilma Roussef toma posse e trona-se a primeira mulher a chegar a presidência do Brasil.


Teve também: Hebe Camargo troca o SBT pela Rede TV!; Ronaldinho Gaúcho confirma sua volta aos gramados brasileiros; a região Serrana, no Rio de Janeiro, é devastada por enchentes.



FEVEREIRO - Ronaldo, um dos maiores jogadores da história do futebol, anuncia sua aposentadoria.



Teve também: Mubarak renuncia após 30 anos de poder no Egito; Anderson SIlva vence espetacularmente a luta contra Vitor Belfort; 'O Discurso do rei' leva o Oscar de Melhor Filme.


MARÇO - Terremoto de 8,9 graus seguido de Tsunami devasta litoral japonês.


Teve também: Steve Jobs anuncia o 'ipad 2'; Rogério Ceni marca o 100º gol da carreira em clássico contra o Corinthians; José de Alencar, ex-vice presidente, morre vítima de câncer.


ABRIL - Homem invade escola em Realengo, no Rio de Janeiro, mata 12 crianças e se suicida.


Teve também: Príncipe William se casa com Kate Middleton na Inglaterra; U2 promove turnê no Brasil; morre em Interlagos, após acidente, o piloto Gustavo Sondermann.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

A minha música do ano

ENVELHECER
Arnaldo Antunes 
http://letras.terra.com.br/arnaldo-antunes/1547283/



A coisa mais moderna que existe nessa vida é envelhecer 
A barba vai descendo e os cabelos vão caindo pra cabeça aparecer
Os filhos vão crescendo e o tempo vai dizendo que agora é pra valer 
Os outros vão morrendo e a gente aprendendo a esquecer 
Não quero morrer pois quero ver como será que deve ser envelhecer 
Eu quero é viver pra ver qual é e dizer venha pra o que vai acontecer 

Eu quero que o tapete voe no meio da sala de estar 
Eu quero que a panela de pressão pressione e que a pia comece a pingar
Eu quero que a sirene soe e me faça levantar do sofá 
Eu quero pôr Rita Pavone no ringtone do meu celular 
Eu quero estar no meio do ciclone pra poder aproveitar 
E quando eu esquecer meu próprio nome, que me chmem de velho gagá 

Pois ser eternamente adolescente nada é mais demodé 
Com uns ralos fios de cabelo sobre a testa que não para de crescer 
Não sei por que essa gente vira a cara pro presente e esquece de aprender 
Que felizmente ou infelizmente sempre o tempo vai correr 
Não quero morrer pois quero ver como será que deve ser envelhecer
Eu quero é viver pra ver qual é e dizer venha pra o que vai acontecer 

Eu quero que o tapete voe no meio da sala de estar 
Eu quero que a panela de pressão pressione e que a pia comece a pingar 
Eu quero que a sirene soe e me faça levantar do sofá 
Eu quero pôr Rita Pavone no ringtone do meu celular 
Eu quero estar no meio do ciclone pra poder aproveitar 
E quando eu esquecer meu próprio nome, que me chmem de velho gagá.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Desespero


Por Caio Lafayette
O texto que segue foi escrito para a Revista Piauí. Um concurso muito legal que a revista promovia, em que ela dava uma frase (quase sempre esquisita) e o texto tinha que ter essa frase, na íntegra, em algum lugar. Nesse caso a frase era: Eu lhe falei de um lugar onde nos sentiríamos no deserto. Sua gratidão me confortou. Partimos em silêncio.
Segue, então, o texto que eu criei.

DESESPERO

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Réveillon


O Réveillon ainda não chegou e talvez essa postagem teria mais sentido na semana que vem - final dela. Porém, já escolhi outra coisa pra postar no fim do ano e, então, decidi dividir com os leitores essa frase que faz parte de um texto do Bruno Medina em seu blog 'Instante Posterior' (http://g1.globo.com/platb/instanteposterior). Pra quem não sabe, Bruno Medina é escritor e músico da banda Los Hermanos.

Voltando à frase...

Ela fazia parte de um texto que falava da passagem de ano, em 2009, se não me engano. Assim que li, veio a reflexão. Espero que ela possa despertar o mesmo sentimento nos leitores deste blog:




"Rituais como a passagem do ano são imprescindíveis porque nos ajudam a marcar a evolução do tempo, mas também podem adquirir o indesejável efeito de nos fazer acreditar que sonhos foram feitos para serem sonhados, e não vividos."  - por Bruno Medina

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Brilho Eterno - de uma mente sem lembranças

Por Caio Lafayette


Pra mim, sem dúvida, o MELHOR filme!




"Deixe-me guardar esta lembrança. Só esta!"

"Felizes são os esquecidos, pois eles tiram o melhor proveito dos seus equívocos."

"Estou exatamente onde queria estar."


"Feliz é o destino da inocente vestal. Esquecendo o mundo e sendo por ele esquecida. Brilho eterno de uma mente sem lembranças. Toda prece é ouvida, toda graça se alcança."

"— Daqui a pouco vai acabar.
— Eu sei.
— E o que fazemos?
— Aproveitamos!"



segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Vamos todos sair do buraco

No Aeroporto Internacional de Guarulhos, sexta-feira, encontrei um livro que fala de um dos momentos mais marcantes deste século até agora: o resgate dos mineirosque ficaram 69 dias soterrados no deserto do Atacama, no Chile.

E mesmo sendo esse um assunto passado, lembro-me do texto de Tutty Vasques na época, que resumiu muito bem meus sentimentos na época e será pra sempre atual.

Divido com vocês:



quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Nota Oficial: Sobre a 2ª Conferência Nacional de Juventude

Por Caio Lafayette



Entre os dias 9 e 12 de Dezembro aconteceu a 2ª Conferência Nacional de Juventude no Parque da Cidade, em Brasília. O espaço aberto para discussão de políticas públicas voltadas ao público jovem contou com a participação de um número expressivo de representantes da nossa cidade, Ferraz de Vasconcelos: 10. Mas antes de falar dessa etapa, é importante recordarmos de como chegamos até lá.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

O Mérito e O Monstro

Por Caio Lafayette



Acordar, mesmo ainda estando com sono…
Tomar banho correndo, mesmo querendo ainda estar dormindo…
Colocar o ‘uniforme’, mesmo querendo ainda estar no banho…
Correr para não perder o trem, mesmo querendo ainda estar se vestindo…
Chegar no serviço, mesmo querendo que o trem levasse para outro lugar…

É um mérito ter um emprego no mundo em que vivemos hoje…
Mas é um monstro saber que dedicamos boa parte da nossa vida fazendo coisas que não são da nossa vontade, para benefícios alheios, cujos resultados nunca vemos, nem veremos.

Engraçado é ler no dicionário Aurélio que trabalho é: aplicação das forças e faculdades humanas para alcançar um determinado fim.

Mas que fim é esse?
É…
No FIM, tudo é uma grande piada…

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

A vez de Lupi

Por Caio Lafayette


O ex-Ministro Carlos Lupi deixa a pasta do Trabalho após dar muito 'trabalho' para a mídia, para a oposição e para o próprio Governo Dilma.

Em meio ao tiroteio que atingiu a pasta, ele afirmou, desmentiu, mentiu, fez declaração de amor à Presidenta, mentiu de novo e desmentiu mais uma vez.

Sem honras, é mais um a deixar o Governo do PT.



segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Sócrates Brasileiro

Por Caio Lafayette


Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira foi brasileiro até no nome.

Nascido no Pará e criado em Ribeirão Preto, faleceu ontem na cidade onde, talvez, tenha tido seus momentos mais gloriosos: São Paulo.


sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Missão: Frango Assado

Por Caio Lafayette


O plano estava traçado. Sozinho ele não conseguiria, talvez. Por isso chamou o Pitoco e o Claudinho.
Encontraram-se no ‘barraco’ pontualmente ao meio-dia e partiram rumo ao objetivo.
Líder nato, manteve-se sempre à frente do grupo, cabeça erguida, ‘cara amarrada’, olhar fixo.
Aos domingos a padaria era mais cheia, mas o frango costumava ser mais bonito.
Na esquina do alvo, Pitoco ‘amarelou’. E de nada adiantaram os argumentos de Léo – Claudinho mantinha-se calado. Mas, como dito anteriormente, o plano já estava traçado, e foram sem Pitoco mesmo.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Baader-meinhof


Por Caio Lafayette



“- Hei galera, acho que aquele cara ‘tá’ seguido a gente.
 - Hei cara, vai mais rápido! Eles ‘tão’ seguindo a gente.
 - Pô, eu sei que a gente não fez nada, mas eles tão seguindo a gente!
 - Olha lá cara, entra pra lá, entra pra lá!
 - Sai do carro garoto, mão na cabeça!
 - Pô, a gente não fez nada!
 - Sai do carro garoto!
 - Pô, o que que é isso?
 - Documento ‘porra’, não quero saber!
 - Que papo é esse?
 - Quietinho aê! Muito quietinho aê porra. Cadê? Cadê a maconha?
 - Cara, a gente não fuma nem nada, que papo é esse cara? Pô, deixa a menina cara, que que é isso porra?”


O trecho acima não foi inventado – pelo menos não por mim. É a introdução da música ‘Baader-meinhof blues’ da Legião urbana no álbum ‘Músicas para acampamento’, lançado em 1992. Isso mesmo! Dezenove anos depois estou aqui: jovem, fã de Legião Urbana, escrevendo sobre as drogas, com cenas como a descrita acima ainda fazendo parte do nosso cotidiano.