quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Monomania

Os mais novos queridinhos do youtube, cinema, multishow e TV Globo.

Seja fazendo comédia, nas esquetes ‘Porta dos Fundos’; seja escrevendo o roteiro da série de sucesso ‘As Cariocas’, veiculada pela Globo; seja fazendo músicas como essa, ‘Monomania’, o casal Clarice Falcão e Gregório Duvivier esbanjam talentos múltiplos.


Vale a pena conferir.


terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Nas entrelinhas do horizonte



“A gente faz contas, projeta uma vida na outra, tenta se enxergar como se fosse outra pessoa... A gente busca espelhos porque viver é solitário. Busca simetrias porque a vida é torta. A simetria acalma. Talvez acalme porque nós mesmos somos simétricos. Uma linha imaginária, dos pés à cabeça, nos divide em duas partes iguais. Buscamos o que já somos? Esquecemos que essa simetria nunca é perfeita; Para o bom observador, sempre haverá uma perna mais curta, um olho mais caído, uma narina mais aberta... 
Certo é que nossa mente busca simetria nas pinturas, nas catedrais e nas notas musicais. Entre o passado e o futuro, entre o óculos de John e o olhar de Paul, entre os Beatles e os Stones, nas cores da barba e do cabelo, assim no céu como na terra, assim na serra como no litoral. Entre mãe e pai, pai e filho, num par de filhos, a gente idealiza simetrias que não existem. Buscamos fatos que se repitam, uma ordem, um sentido, um padrão, uma padrão, um padrão... um padrão que não há. 
O mundo é ímpar, não dá pra dividi-lo em duas metades iguais.” 


“Desconfio de hinos, músicas lineares, puramente motivacionais, em que tudo-tudo-tudo-vai-dá-pé-quando-o-sol-brilhar-tudo-de-bom-vai-acontecer-e-quando-a-noite-chegar-vai-rolar-a-festa. Honestamente, não sei até que ponto esta overdose de alto-astral ajuda as pessoas. Não me surpreenderia se o número de suicídios no carnaval fosse maior do que na quaresma. Não acho que uma música melancólica aumente a melancolia. Na verdade, ela faz companhia. 

Tenho um pé atrás com pessoas que estão sempre de bem com a vida. Já vivi o suficiente para saber quando alguém está querendo enganar a si mesmo enchendo as frases com adjetivos exagerados e excessivos pontos de exclamação. (...) 

O outro pé também tenho atrás: com pessoas que estão sempre de mal com a vida. Já vivi o suficiente pra saber que o fim do mundo não acontece todo dia da semana.” 


“Não estamos no paraíso, é óbvio. Mas o paraíso não está no passado. Ainda bem: lá não se pode ir.” 


“É raro que, na vida real, possamos ter o melhor de dois mundos, ficar com a lenha e se aquecer com fogo. Quase sempre é preciso escolher. Com o tempo, a gente se acostuma a abrir mão de algumas coisas em favor de outras. Até aprende a conviver com a possibilidade de ter feito a escolha errada. Afinal, a dúvida é o preço da pureza. No fim das contas, é isso que nós somos: as escolhas que fazemos.” 


“Adoraria terminar este texto com algum exemplo grandiloquente de coisas que não mudam e para as quais sempre podemos retornar (até escreveria em letras maiúsculas: AMOR, VERDADE, BELEZA...). Mas só me vêm à cabeça sons, cheiros, sabores, um par de olhos, um pôr do sol, um abraço... insignificantes no esquema geral das coisas, mas suficientes.”

Trechos do livro 'Nas entrelinhas do horizonte', de Humberto Gessinger

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Luto

Em momentos de tragédias como a de ontem, em Santa Maria - RS, muitas vezes 'palavras são erros'.



Mas Tutty Vasques escreveu sobre uma 'quase' tragédia que aconteceu no Chile, com os mineiros soterrados por 69 dias no deserto do Atacama. Pra sempre vou lembrar desse texto - que já postei no blog em 2011. Divido com vocês, mais uma vez: VAMOS TODOS SAIR DO BURACO.


"...há muito tempo a humanidade não manifestava sua preocupação com a espécie de forma tão singela."

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios


“Queremos o que não podemos ter, diz o professor Schianberg, o mais obscuro dos filósofos do amor. É normal, saudável. O que diferencia uma pessoa da outra, ele acrescenta, é o quanto cada um quer o que não pode ter. Nossa ração de poeira das estrelas.”

“Poucas vezes me senti tão confortável no mundo. E, no entanto, sofria por antecipação, o grande vazio que seria o resto da minha existência sem ela.
O que acontece é que, quando estou com você, eu me perdôo por todas as lutas que a vida venceu por pontos, e me esqueço completamente que gente como eu, no fim, acaba saindo mais cedo de bares, de brigas e de amores para não pagar a conta. Isso eu poderia ter dito a ela. Mas não disse.
Talvez por saber que era o fim, e a gente nunca se comporta muito bem nos finais; ou talvez por impotência, desamparo, angústia; e também por covardia, não há vergonha alguma em admitir; talvez por tudo isso, e à falta de um nome adequado para a sensação de impotência que me esmagava, o fato é que desabei. (...)”

Trechos do livro 'Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios', 
de Marçal Aquino

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

REGIMENTO DO CONGRESSO ESTADUAL DO PSDB-SP



Fica estabelecido que:

Art. 1º O período de sua instalação e de sua vigência é de 02 de janeiro de 2013 até 07 de Abril de 2013.

Art. 2º Entre o período de 01 a 28 de fevereiro de 2013 serão aceitas as inscrições, propostas de Alterações estatutárias, destaques para consolidação do Código de Ética e Disciplina, teses programáticas para a “Carta de São Paulo”, de qualquer filiado do Estado, por meio do site deste diretório em página dedicada ao Congresso, ou em seus respectivos diretórios zonais e municipais.

Art. 3º Até a data de 08 de março de 2013 serão recebidas propostas de filiados para alterações, acompanhadas das justificativas e subscritas pela Comissão Executiva de seu respectivo diretório zonal ou municipal, além do segmento de sua atuação. Poderão ainda ser encaminhadas propostas independentes, subscritas por pelo menos 1% dos filiados.

Art. 4º Será concedido o prazo de sete dias, após esta data, para que os filiados que não atendam às condições exigidas no item 3 (três) façam o efetivo encaminhamento das propostas diretamente à mesa diretora, concedendo a esta a atribuição de apreciar e deliberar se constarão nas discussões da pauta
do Congresso ou não.

Parágrafo único- Será permitida, no mesmo prazo, a retirada de propostas apresentadas através da subscrição da totalidade dos seus proponentes.

Art. 5º A mesa diretora será composta por 5 (cinco) membros indicados pelo Presidente e Secretário-Geral do Congresso.

Art. 6º Compete à mesa diretora do Congresso Estadual:

§ 1º - Coordenar os trabalhos com base no presente Regimento;

§ 2º - A responsabilidade pela verificação do quórum;

§ 3º - A sistematização das propostas apresentadas na plenária para votação;

§ 4º - Resolver as questões que lhe forem submetidas em recurso por qualquer delegado;

§ 5º - A responsabilidade pela organização da documentação do Congresso;

§ 6º - Demais atribuições decididas pelo Presidente e pelo Secretário-Geral.

Art. 7º Farão parte do evento as discussões temáticas, abertas a todos os inscritos com direito a voz e sem direito de voto, bem como a plenária de votação, restrita somente aos delegados convencionais, membros dos diretórios zonais, municipais e estadual, coordenadores regionais, prefeitos, e parlamentares municipais, estaduais e federais, credenciados na ausência do titular.


§ 1º - Os suplentes serão credenciados na primeira hora após o término do horário previsto para credenciamento dos efetivos.

§ 2º - No ato do credenciamento, o votante deverá apresentar um documento de identificação com foto e assinar a lista de presença.

§ 3º - Cada votante só terá direito a um voto.

Art. 8º As deliberações serão realizadas pelo voto da maioria dos presentes.

Art. 9º As sugestões de alterações programáticas deverão constar no documento “Carta de São Paulo”, anexado às justificativas.

Art. 10° As defesas das teses serão feitas item por item, em todos os temas abrangidos.

Art. 11º Os participantes com direito a voto receberão, no momento do credenciamento, um caderno contendo a sistematização da reforma estatutária, com as devidas emendas para votação.

Art. 12º A Mesa diretora proclamará o resultado de cada votação imediatamente após o seu término, para conhecimento do Plenário e devido registro em ata.

Art. 13º Matéria votada não será novamente colocada em votação.

Art. 14º Os recursos sobre questões que surjam no decorrer do Congresso serão apresentados à mesa diretora, que decidirá da oportunidade de sua discussão e votação.

Art. 15º A mesa diretora divulgará as resoluções da Reforma Estatutária do Congresso imediatamente, por meio virtual, e em caderno impresso no prazo máximo de 30 dias.

Art. 16º Será dado prazo de 10 dias para contestação e posterior encaminhamento ao Diretório Nacional, pelo Presidente do Diretório Estadual do Partido da Social Democracia Brasileira e sua Executiva.

Parágrafo único – Qualquer filiado poderá fazer contestação.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Mondo Tarantino

Texto extraído do Jornal FOLHA DE SÃO PAULO


Com exceção de "Django Livre" (2012), todos os filmes do cineasta Quentin Tarantino serão exibidos na mostra "Mondo Tarantino" entre fevereiro e março, na capital paulista.

O evento ocorre de 20 de fevereiro a 17 de março no CCBB (centro de São Paulo) e de 25 de fevereiro a 15 de março no Cinusp (zona oeste). Os ingressos vão custar R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia).

O público poderá ver os clássicos "Cães de Aluguel" (1992), "Pulp Fiction" (1994) e "Jackie Brown", e os mais recentes "Kill Bill - Vol. 1 (2003) e Vol. 2" (2004), "À Prova de Morte" (2007) e "Bastardos Inglórios" (2010).





Os espaços vão exibir também longas dos quais o diretor participou, como "Um Drinque no Inferno" (1996), de Robert Rodriguez, e "Sin City - A Cidade do Pecado" (2005), que co-dirigiu com Robert Rodriguez e Frank Miller, entre outros.

Será possível assistir, ainda, a filmes que influenciaram o diretor norte-americano, a exemplo de "O Grande Golpe", de Stanley Kubrick, e "Taxi Driver", de Martin Scorsese, além de séries que dirigiu para a TV, como "C.S.I" e "E.R.".

Quentin Tarantino será homenageado também pelo MIS, que vai exibir dez longas que influenciaram sua obra, entre 15 e 20 de janeiro.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

A Juventude no Congresso do PSDB

Texto publicado no site da JPSDB-SP: http://jpsdb-sp.org.br/noticias/ta-na-mao-dos-caras


Como já informado aqui, o Deputado Pedro Tobias escolheu nesta semana o presidente Paulo Mathias para ser seu secretário-geral no Congresso do PSDB-SP que acontecerá no mês de abril de 2013.

Para organizar a juventude tucana neste evento, Paulo Mathias nomeou uma comissão de 5 membros. São eles: Olavo Nogueira, Marco Vinholi, Fabricio Caruso, Cesar Henrique Orleans e Caio Lafayette.


Até o dia 1º de fevereiro (dia que se inicia as inscrições das propostas) este time terá como responsabilidade:


1) Realizar reuniões temáticas com notáveis para discussão;

2) Elaborar textos orientadores para nossos filiados jovens sobre matérias sensíveis aos fins do Congresso. Os textos deverão ser publicados no site da Juventude do PSDB-SP;

3) Promover e incentivar reuniões municipais e regionais;

4) Auxiliar os jovens filiados na elaboração e na apresentação de propostas para o Congresso;

5) Incentivar e colaborar com a mobilização e participação dos jovens participantes do Congresso;

6) Compilar, revisar e difundir propostas e manifestações de jovens sobre os temas pertinentes ao Congresso.


O Congresso Estadual do PSDB-SP terá início no dia 2 de janeiro e término no dia 7 de abril.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Qualquer semelhança é mera coincidência?

Conhecemos alguém assim?



“Conhecer a história de Hitler e do nazismo nos dota de um termômetro para auferir a temperatura antidemocrática dos nossos próprios governos. Acaso temos políticos afeitos ao personalismo? Que violam sistematicamente promessas de campanha, ou que, por mais democráticos que se autodefinam, entregam-se a arroubos autoritários, exasperam-se com críticas e procuram a todo custo calar a imprensa, o TCU e outros órgãos vigilantes do regime democrático? Que são amigos de ditadores? Que gritam e gesticulam demais em comícios, a fim de usar o povo ignorante como massa de manobra? Se a resposta for afirmativa para alguma dessas perguntas, não estamos muito mais seguros que a República de Weimar, e todo cuidado é pouco.” 

Texto de Paulo Schmidt, no Prefácio da biografia 
‘Hitler – Retrato de uma tirania’, de Fernando Jorge.